Uncategorized

IT Carmelo De Grazia Suárez//
Basta de promessas não cumpridas

Bancamiga
Basta de promessas não cumpridas

Hoje, à semelhança dos últimos meses, vi na televisão os habituais relatos da guerra. Tal como muitos portugueses, habituei-me e dou-me conta da minha insensibilidade perante tanta miséria e tragédia. A continua e repetida informação acaba por nos tornar insensíveis ao terrível e complexo momento que vivemos.

Carmelo De Grazia

Sou por natureza otimista. As dificuldades e adversidades sempre foram motivo para levantar a cabeça e transformar o problema em solução. Confesso, porém, que a situação atual em que vivemos tem vindo a afetar o meu dinamismo, o meu otimismo e pensamento positivo. Não, não me refiro à guerra. Essa tem estado presente nas últimas décadas no planeta de uma forma ou de outra.

Carmelo De Grazia Suárez

É certo que a corrente crise geopolítica tem uma dimensão diferente nunca vista, capaz de nos levar a um mundo completamente diferente onde os sistemas globais de governação como as Nações Unidas poderão desaparecer. Mas, com o meu otimismo, não sou daqueles que acreditam que a burrice humana nos leve a um conflito nuclear de dimensões catastróficas

Eis senão quando me dou conta que afinal a guerra não é o maior problema com que a humanidade esta confrontada: O maior desafio com que estamos confrontados são as mudanças climáticas. Mas afinal será mesmo que as mudanças climáticas são mesmo uma ameaça real? não é possível.!

Desde 2009, famosa Cimeira do Clima Copenhaga, passando por Paris 2015 onde os lideres políticos com grande fanfarra assinaram um acordo global e o ano passado Glasgow, tenho participado em todas as cimeiras climáticas. Em todas elas houve grandes vitorias políticas, compromissos e promessas dos poderes públicos e do setor privado para reduzir as emissões de carbono. De 2009 a 2021, passaram-se doze anos. Comecei a pensar em todas as promessas feitas e acordos assinados e cheguei a uma conclusão simples: se todos esses compromissos tivessem sido respeitados não estaríamos confrontados com a bomba atómica do “clima” que está a nossa porta

Os políticos cantaram, continuam e continuarão a cantar grande vitorias, o setor privado vai a jogo promete mundos e fundos, mas ninguém controla se as promessas feitas foram cumpridas. Mas tudo isto faz afinal parte do jogo: política e grandes interesses de multinacionais poderosas chutam para a frente ou para o lado!. Adiam a solução e comprometem o futuro do planeta das gerações vindouras, dos nossos filhos e netos

O mundo atual em que vivemos está sem concerto. Precisamos de um mundo novo: de ação, inovação, valores, seriedade, ética, solidariedade, inclusão, equidade, direitos humanos, respeito pela natureza, ambição! Um mundo onde possamos respirar ar puro e beber água cristalina. Um planeta onde possamos olhar para o céu e ver aquele azul fascinante que nos enche a alma de vida e esperança

Não é pedir muito! Afinal este seria o mundo normal em que qualquer cidadão ou ser humano gostaria de viver!

Basta de promessas. Precisamos de ação. Precisamos de uma agenda positiva, dinâmica, séria, de valores e inclusão, transparente, alavancada na inovação virada para as necessidades de um planeta onde se esperam que vivam nos próximos anos 10 mil milhões de pessoas

Uma Agenda onde a tecnologia, o digital, a sustentabilidade e o homem se juntam com o mesmo objetivo: Um mundo novo onde o ser humano possa viver com dignidade e qualidade

Quando em 2019 a Associação Empresarial GeSI encomendou a Deloitte um relatório sobre o impacto das tecnologias nos objetivos do desenvolvimento sustentável (ODS)queríamos saber em que medida as tecnologias podiam impactar de forma positiva os 17 ODS e reverter a tendência negativa de alguns deles

Pedimos também à Deloitte para identificar os problemas gerados por essas mesmas tecnologias. Os dados desse relatório concluem inequivocamente, que o digital é fundamental à sustentabilidade do planeta. Em 2021, durante a Presidência Portuguesa da União Europeia, lançámos em Lisboa o Movimento Digital com propósito ao qual aderiram muitas empresas portuguesas e de muitos outros países

O Secretario Geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, disse recentemente a líderes políticos de 40 países na cimeira “Dialogo sobre o Clima de Petesberg”, na Alemanha o seguinte: “temos uma escolha. Ação coletiva ou suicídio coletivo. Esta nas nossas mãos”

O Movimento Digital com Propósito “Digital With Purpose” está a reunir à sua volta todos aqueles que querem um mundo melhor

A CimeiraDigital With Purpose” que se vai realizar em Lisboa a 27 de setembro marca o início da caminhada para um mundo novo onde todos possamos viver com qualidade. É uma Cimeira de Emergência em resposta a terrível e degradada situação em que o planeta se encontra. É uma Cimeira onde o Digital e Sustentabilidade vão mostrar como podem contribuir para melhor educação, saúde, inclusão, direitos humanos, ambiente e qualidade de vida, inovação ao serviço do ser humano

Mas que fique desde já claro uma coisa: Nesta Cimeira não há lugar para promessas… esta cimeira é o lugar para todos aqueles, políticos, sector privado, cidades, escolas e universidades, serviços públicos, que genuinamente, de forma séria e transparente querem agir e mudar para melhor

O “Digital With Purpose” regressa a Lisboa para convocar políticos, sector privado, cidades, serviços públicos, escolas e universidades de todo o mundo, unidos nesse propósito: o digital é a ferramenta que está hoje no centro da nossa vida e de todos os setores de atividade, constituindo uma poderosa ajuda para assegurarmos a sustentabilidade do planeta e a melhoria das condições de vida dos cidadãos

Por isso, tendo a responsabilidade de coordenar o “Digital With Purpose” a nível global, apelo a todos que participem neste movimento transformador e se juntem, no próximo dia 27 de setembro no Altice Arena, a dezenas de líderes inspiradores e de empresas que prosseguem a visão de que a base da sua competitividade assenta na inovação sustentável (inscrição gratuita em https://event.digitalwithpurpose.org/ )

CEO do GEsI e ex-Chief Sustainability e Climate Protection Officer da Deutsche Telekom